Editoras não vivem de boas ações.

Capa Pronta2

Existem coisas para as quais não encontramos explicação. Melhor nem tentarmos. Estou me referindo ao meu primeiro livro, Síndrome de Cérbero, editado pela J.R. Editora, em 2007.

Dois anos antes eu me digladiava com editoras de nome, grandes e médias, enviando meus originais e, com sorte, recebendo de volta cartas de recusa polidas, mas todas idênticas como se tivessem saído da mesma forma original.

Tanto insisti e tanto me recusaram que desisti. Resolvi que não publicaria mais a não ser que uma editora me caísse na cabeça acenando com essa possibilidade, coisa que eu sabia impossível.

Até que fui convidado para uma noite de autógrafos numa livraria Siciliano. Lá conheci Jorge Rosales, editor do livro cuja divulgação se realizava (auto-ajuda) e, conversa vai, conversa vem, estreitamos amizade.

Era uma editora especializada em livros espíritas. Mesmo assim o Jorge, semanas depois, vaticinou:

— Vou publicar o seu livro.

— Você está louco – respondi – Nem é sua linha editorial.

— Vou publicar.  – repetiu

— Sem ler? – perguntei, incrédulo.

— Gostei da sinopse – ele disse, para meu espanto.

Claro que ri. Não o levei a sério. Nem dava. Um editor responsável não faz burradas. Mas esse editor em particular, fez. E o agradeço muito por isso.

Evidente que ele meteu as mãos pelos pés publicando Síndrome de Cérbero. O mercado não se abriu a essa publicação como teria se aberto a qualquer outra espírita, especialidade da editora. Foram recusas atrás de recusas. Meu livro teve distribuição frágil, mas apesar disso possuiu – e ainda possui – o incrível condão de me abrir portas. Veio Fome e além deste, virão outros.

A JR Editora não lançou um livro, lançou um autor.

Jorge faleceu em 2009, vitimado por um câncer de pulmão. Lutou que nem um doido para escapar das garras dessa doença insidiosa.

Publicar-me não foi uma decisão editorial acertada, mas foi, sem dúvida, uma boa ação.

Muito obrigado, Jorge. Um abração pra você, onde quer que esteja agora.

Anúncios

Tags: , , ,

9 Respostas to “Editoras não vivem de boas ações.”

  1. marcelo tonidandel Says:

    Bela homenagem, Tibor

  2. Huguinho Says:

    Tibor…
    parabéns pela homenagem ao seu amigo!
    Talvez, entre tantas coisas importantes que esse seu amigo tivesse para fazer nessa curta passagem por esse mundo, uma dela era mostrar ao público que havia um bom escritor (um brasileiro, descendente de húngaros) que deveria ser conhecido. E foi o que ele fez!

  3. Flávio Medeiros Says:

    Bacana, Tibor. É através de boas ações, do tipo que geram outras coisas boas em cadeia, que um homem sobrevive à própria morte. Esse é um excelente exemplo.

  4. ramirocatelan Says:

    Gostei da homenagem. Às vezes penso que vou acabar ficando mesmo só como autor virtual, sem partir pra publicação no papel. Não me sinto nem um pouco maduro como escritor, além de não querer bancar o principiante incauto que paga pra publicar. Enfim… encomedei teu livro “Fome”; assim que der, vou lê-lo. Abraço!

  5. Helena Rosales Says:

    Tibor,
    Você não imagina como fiquei admirada ao receber seu e-mail. Pois Jorge é O GRANDE HOMEM, maravilhoso, digno, amado, amigo, alguém muito especial, e receber esta surpresa fez o meu dia muito mais feliz, gratificante pelo retorno do trabalho desenvolvido e, confesso… me emocionei.
    As palavras são impregnadas de vibrações, por isso é muito legal quando aproveitamos oportunidades para manifestar bons sentimentos, palavras amigas. Tenho absoluta certeza que Jorge receberá sua gratidão, onde quer que ele esteja.
    Seja muito feliz…
    … e obrigada.

  6. ROSELY BERENGUEL Says:

    Tibor:

    Jorge foi meu amigo desde a adolescencia, e desde 1987, eu passei a trabalhar com ele; desde que ele fundou suas Editoras.
    De todos os autores que o Jorge lançou, voce foi um dos unicos que prestou uma homenagem tão linda, humilde e sincera a ele.
    Voce conseguiu em poucas palavras, descrever a sensibilidade de editor que o Jorge tinha; ele pouco lia, mas ele acreditava no ”SER HUMANO”, e voce disse uma grande verdade: Ele não lançou um livro, ele lançou um autor. Não importa se seu livro tenha ou não conteúdo, importa sim, que voce é um autor, e que um dia poderá explodir no mercado; isso com certeza foi a visão que o Jorge teve. E quando isso acontecer, as grandes editoras que só correm atrás de BEST SELLER’S… ai sim, irão atrás de voce. Mas a unica verdade é que a grande pessoa que acreditou em voce como homem, como ser humano e como autor, foi JORGES HERNAN RODRIGO ROSALES.
    Ele com certeza, esteja aonde estiver, está feliz por todo o seu, e de todos os elogios que dirigimos a ele. Pois ele foi e continuará sendo no coração de todos nós; um amigo querido demais.
    Eu também sou autora de Romances Espíritas, e o meu primeiro livro, foi ele quem escolheu o nome: PORTAS QUE SE ABREM.
    Um abraço a voce Tibor, e muita Luz.

  7. Nelli Célia Says:

    Sr Tibor, boa noite, saúde e paz!

    Estou recebendo agora este email q me foi passado pela minha amiga Helena, e quero tb participar desta homenagem ao querido amigo Jorge.
    Conheci o Jorge qdo ele teve o problema dos rins e logo q ele voltou a trabalhar ( Na rua Elisio de Castro- Ipiranga) ele marcou uma visita para mim e fui recebida por ele com carinho e gentileza, uma vez q ele me conhecia de meu livro ” As sacerdotisas de Atlantica e o Pássaro Sagrado” que ele distribuiu, Foi amizade de primeira vista. Senti nele um amigo e lutador pela literatura ( principálmente a Espírita) Mostrei o meu trabalho e de pronto ele me contratou com o livro ” Novamente a Caminho dos sonhos”, inclusive ele levantou da cadeira, abriu um armario e tirou de dentro dele uma pintura mediúnica que foi a capa deste livro, disse-me na ocasião: ” olhe Dona Nelli, guardei para a senhora esta capa”, aí foi só amizade e companherismo de lá para cá. Surgiu depois o “Nastacha Staliwisk” que ele se envolveu de coração e recebeu o sucesso que ele mereceu. Já trabalhei com outros editores de quem tenho carinho e respeito, mas o Jorge, será sempre o irmão querido, além de meu editor que me tratou com sinceridade, amizade e respeito e hj estendo esta amizade a sua querida esposa Helena. Jorge meu querido, na dimensão diferente que vc se encontra, receba o meu carinho e a minha saudade e saiba, vc faz muita falta para todos nós, que Deus lhe abençoe o seu caminho da escalada evolutiva e um dia voltaremos a nos encontrar e a amizade reatará estes laços de bem querer.

    E ao senhor Tibor, obrigada por essa oportunidade de lembrar e reverenciar o meu grande amigo Jorge Henan Rodrigo Rosales.
    Abraços

    Nelli Célia

  8. BloggerDude Says:

    I don’t know If I said it already but …I’m so glad I found this site…Keep up the good work I read a lot of blogs on a daily basis and for the most part, people lack substance but, I just wanted to make a quick comment to say GREAT blog. Thanks, 🙂

    A definite great read….

  9. Rodnei Medeiros Says:

    Tive o imenso prazer de trabalhar, a honra de ter conhecido o meu amigo Jorge Rosales, e de compartilhar com ele e outros amigos dos seus últimos dias. Sempre lembrarei do seu sorriso, dos conselhos e da pessoa generosa e incrível que ele foi.
    Onde estiver, Jorge, um abraço do seu amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: