Metafísica da especulação – Diálogos III

leituras

Ele:

— Dizer que não tem referências não faz nenhum sentido.

Eu:

— Me refiro a referências diretas.

Ele:

— Também não faz sentido. Todo escritor tem referências.

Eu:

—As minhas são indiretas, oras. Não sei de autores que tenham influenciado a minha escrita. Que leitores atentos tentem descobrir o que eu mesmo não sei.

Leio desde a adolescência ou antes ainda do que isso. Lia de tudo (minha mãe era sócia do Círculo do Livro) que me caía nas mãos. Não tinha condição de saber o que era bom e o que era ruim. Só fui começar a me preocupar com isso bem mais tarde.

Minhas primeiras leituras, aquelas que me fisgaram, foram as que encontrei nas revistas Fiesta, Status e Playboy, no suplemento de domingo “Folhetim” da Folha de São Paulo, nos livros de Milan Kundera, Arthur Miller, Cassandra Rios, Brigitte Monfort (ZZ7), Woody Allen, P.G. Wodehouse, Agatha Christie, Philip Roth, Irving Wallace, John Le Carré e diversos outros romances policiais e de espionagem cujos títulos e autores mergulharam no esquecimento.

Além de Diálogos de Platão, lido aos 14 anos. Não entendi bulhufas. Mas certamente serviu para formar algum arcabouço cultural. Essa sopa de letrinhas que hoje me ajuda a escrever.

Ficção Científica? Só fui tomar conhecimento dela bem mais tarde. Não me atraía, a danada. Mas, com certeza, dela não tenho grandes referências, já que minhas leituras foram fortuitas e extremamente dispersas dentro desse gênero.

Assim, falar em referências é espinhoso. Prefiro dizer que minha escrita é resultado de uma amálgama de leituras, a FC em franca minoria.

Qualquer outra especulação trata-se de metafísica pura.

Para que não digam que faltou algum ensinamento nisto tudo, afirmo o seguinte: não importa tanto o que você leia, desde que seja com imenso prazer. Leia bastante e gêneros diversificados. Ler por ler, porque é necessário ou exigido para isso ou aquilo é uma merda e desaconselho enfaticamente.

Anúncios

Tags:

2 Respostas to “Metafísica da especulação – Diálogos III”

  1. Cirilo S. Lemos Says:

    Diálogos de Platão aos 14? Putz, Tibor! Definitivamente quero ser como vc quando crescer. Aos 14 eu lia a Saga do Clone e O Fabricante de Terremotos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: