Em Cobra Norato, todo dia é sexta-feira.

Fiquei surpreso quando recebi, pelo correio, um exemplar de Babel Hotel, livro infanto-juvenil publicado pela Editora Scipione e escrito por Luis Bras. Para quem não sabe, esse é o heterônimo de Nelson de Oliveira, um escritor com dupla identidade/personalidade. Deve ser divertido. Você sempre tem com quem conversar e qualquer desculpa de solidão é balela. Duas mentes argutas, dois escritores afiados. Assunto nunca vai faltar.

Fiquei interessado pelo livro já na quarta-capa. E ela me remeteu automaticamente ao filme Feitiço do tempo. Não é uma associação gratuita e a referência ao filme veio logo depois, ao ler o texto das orelhas.

Babel Hotel foi uma leitura vertiginosa. Bem escrito, fácil de ler, se revela uma ficção científica “tri-ante”. Vou explicar: instigante, fascinante e delirante. Muito difícil abandonar a leitura. Vamos sendo apresentados aos protagonistas, sete ao todo, cada um contando a sua história, cada um interpretando os fatos à sua maneira, cada um morrendo dia após dia. E, paradoxalmente, todos vão vivendo a mesma sexta-feira todos os dias, numa cidade intrigante (olhaí outro “ante”): Cobra Norato.

Mas existe um segredo. Ou vários. Existe também um personagem misterioso. Existe um medalhão com poderes assombrosos. E isso tudo dá uma liga danada de boa.

Faltaram mais explicações no final. Um pouquinho mais das motivações, das causas, do porque que as coisas foram feitas daquele jeito. Ou teremos uma continuação dessa eletrizante história e aí, então, as peças finalmente se juntem nesse curioso tabuleiro.

Recomendo.

Anúncios

Tags: , , ,

3 Respostas to “Em Cobra Norato, todo dia é sexta-feira.”

  1. Cirilo S. Lemos Says:

    Cobra Norato! Boa homenagem.

  2. Luiz Bras Says:

    Tibor, obrigado pelo comentário positivo! Oxalá teu clamor seja ouvido pelos deuses que administram o ensino médio e em 2010 o romance seja adotado por muitas e muitas escolas. Isso com certeza daria gás para uma continuação. Pena que a literatura para jovens, no Brasil, dependa da adoção e dos programas do MEC, como o PNBE. Por mais que as editoras se esforcem, em geral os juvenis não fazem muito sucesso nas livrarias.

  3. ALINE GERVASON Says:

    ADOTEI O LIVRO BABEL HOTEL NO 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL, E OS ALUNOS ESTÃO ENCANTADOS COM A HISTÓRIA, ASSIM COMO EU ME ENCANTEI.
    GOSTARIA DE CONHECER O AUTOR E, QUEM SABE LEVÁ-LO AO COLÉGIO PARA CONVERSAR COM OS ALUNOS… ACHO QUE SERIA MUITO INTERESSANTE ESSE CONTATO PARA QUE ELES CONHEÇAM AS MOTIVAÇÕES DE LUIZ BRAS PARA A CRIAÇÃO DESSA HISTÓRIA TÃO FASCINANTE PARA ELES.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: