O livro negro dos vampiros. Lido e comentado.

Há meses abordei um assunto que se revelou polêmico e é, até agora, uma das postagens mais acessadas do blogue. Falei sobre coletâneas que se esparramam, sendo amontoadas nos rodapés. Discuti os propósitos de suas organizações e os resultados advindos do esforço hercúleo de reunir em um só tomo dezenas de contos que se pretendem de boa qualidade.

Lembro que fui aplaudido e vaiado, ora por autores e leitores decepcionados com os resultados dessas coletâneas, ora por organizadores que vestiram a carapuça, demonstrando contrariedade com meus argumentos.

Recebi há poucos dias alguns livros para ler e comentar. Entre eles dois de publicação da Andross Editora. São eles: Anno Domini e O livro negro dos vampiros. Este último eu terminei de ler agorinha há pouco.

Salvo a bela capa, impossível acreditar que houve uma seleção realmente criteriosa, fundamentada na qualidade dos trabalhos recebidos, como defendido na apresentação da obra. São 53 trabalhos, os mais diversos. Tantos que me absterei de comentá-los um a um, tarefa que me absorveria demais.

Devo ressaltar que alguns contos conseguiram me fazer criar categorias novas de avaliação. Assim, criei o duplo Eca! e o triplo Eca!. O último concedido a apenas um conto, cujo autor merece meus sinceros e entusiásticos aplausos.

Também me decepcionou a revisão (fragilíssima) e a diagramação.

Vamos aos contos, autores e avaliações:

1-    Mais uma noite – Liz Marins –

2-    Reflexos de um vampiro sobre reflexos – Léo Vitor –

3-    Nem alfa, nem ômega – Gustavo Campello –

4-    Nina e Nicolau – André L. Pavesi –

5-    A investida do vampiro, em três atos – Renato Arfelli –

6-    Lextalions: O segredo de Caim – Marcelo Aceti –

7-    Um vampiro em minha vida – Tânia Rocha –

8-    Sacramento – O início – Marcos T. Nogueira –

9-    Segundas intenções – Silvio Alfredo de Oliveira Augusto –

10- Axius – Fábio Fabrício Fabretti –

11- Branco como a neve… – Vitória Hellsing –

12- Santa Rosa – Samuel DC –

13- Dark Road – W.P. Conspícuo –

14- A vítima perfeita – Marcio Renato Bordin –

15- Caça e Caçador – Tales de Azevedo –

16- Valores, desejos e Dry Martini – Ary P. Hahne –

17-  O melhor das safras – Vitor Alcântara –

18- A primeira noite – Rodolfo Mattos –

19- A vingança de Simon – Rafael Bernini –

20- Sombra sombria – Felipe F. Lopes –

21- Tempos modernos – Kathia Brienza –

22- Memória póstuma – Luciana Baccarin –

23- Encontro eterno – Rodrigo Bruno –

24- Amor no sangue – Maria do Carmo Fortuna –

25- A gênese do mal – Alexandre Copelli –

26- A última batida de meu coração – Ricardo Delfin –

27- O mistério dos papeis – Graziele Ruiz –

28- Garuda – Bruno Miguel Rosende –

29- Preto da noite, vermelho do sangue – Guilherme Sandi –

30- Ato profano – Lady Wilmot –

31- Resguardos noturnos – Renato Zapata Kannebley –

32- O resgate – Mariam Santiago –

33- Santo Sepulcro – Denise M. Guimarães –

34- Somos vivas, enfim – Emilia Ract –

35- O último quadro – Alex Sens Fuziy –

36- Olhar desluzido – Luciana Fátima da Silva –

37- O vampiro da consolação – Lizi Tequila –

38-  Você tem fé? – Juliana Ribeiro Cintra da Cruz –

39-  Maldição – André Caniato –

40- Destino – Vampy Lu –

41- Escolhas – M.J. Borghi –

42- Fome – Cesar de Lima –

43- Quase Jolie – Eunice Bemfica –

44-  A caçada – Helena Gomes –

45-  Zapping – Brontops –

46- O último manuscrito – Ed Wanger –

47- El mosquito – Denize Müller –

48-  Passione Nocturnale – Dimítry Uziel –

49- Charlote e o espelho – Ebbios Traumer –

50- Maternidade – Claudio Brites –

51- Vitela – Tiago Araújo –

52- No dobrar da hora morta – Kizzi Ysatis –

53- Um conto de vampiro – Octavio Cariello –

Já é difícil conseguir manter uma média de qualidade considerada boa numa coletânea com uma dúzia de trabalhos reunidos. Que dirá numa com 53?

Por outro lado, a quantidade de contos ruins e muito ruins é grande demais para aceitar que houve preocupação mínima com boa qualidade. Com as avaliações dadas, a coletânea O livro negro dos vampiros recebe um como avaliação final.

Mais um bom argumento contra as coletâneas caça-níqueis. E lamento pelos autores que, sem nenhuma condição de publicar, foram aceitos nesse livro. Bom para o ego, mal para a imagem. Que burilem melhor seus futuros trabalhos e não pensem em publicar antes de terem a mais absoluta certeza de que tenham atingido um nível aceitável de qualidade.

Anúncios

Tags: , , , , ,

20 Respostas to “O livro negro dos vampiros. Lido e comentado.”

  1. Artur Lins Says:

    Se é para avaliar, Dois Polegares pro Senhor. Gostei de ver. Coletâneas têm de ter qualidade.

  2. ramirocatelan Says:

    Nunca li uma coletânea desse tipo de editoras – e não pretendo ler, diga-se de passagem. Seria pôr dinheiro fora. Só resta sentir muito pelos bobos que acreditam que estão “consolidando seu nome” ao publicar nas Andross e Multifocos da vida.

    • Eduardo Zhukov Says:

      É lamentável que essas editoras “profissionais” façam esse tipo de desrespeito com a inteligência do leitor. Desastres editoriais desse tipo afetam até o desempenho de escritores brasileiros sérios, que desejam, com muito esforço, tornar conhecidas as suas obras para todos.

  3. Paulo Fodra Says:

    Senti muito alívio por não ter submetido trabalhos para essas coletâneas! O sistema da Andross de “remunerar” os escritores, com exemplares para venda a título de custeio da publicação, também não é lá dos melhores…

  4. Angelo Says:

    E esses dois ainda são os melhores livros da Andross. Imagine o resto. O organizador deve ficar vermelho quando lembram ele desse trabalho. Ou não, deve ter ganhado bem para isso. É triste.

  5. Daniel Moricz Says:

    Rapaz, por isso evito ler qualquer coisa sobre vampiros que não venham de fonte seríssima pós Anne Rice.
    A coisa é feia e acabamos ora com porcarias horrorosas como a série Crepúsculo ou com estas histórinhas mal contadas por “mestres” de RPG que julgam que suas crônicas sejam excelentes e mereçam virar história como com certeza é o caso da história que menciona Caim. Pena. Falta de criatividade num campo tão fértil para criação… e no fim das contas, como qualquer narrador de vampiro que se preza, me sinto ofendido por esse tipo de conto que não acrescenta nada a vida de ninguém… AMIGOS: CUIDADO COM LIVROS SOBRE VAMPIROS – só gastem seu dinheiro após inúmeras boas críticas sobre o livro em questão. Curiosidade aqui não cabe!

  6. jrcazeri Says:

    Sem novidade, em minha opinião. Reunir 40 autores quaisquer, cedendo 8000 caracteres de espaço a cada um, com a finalidade única de atingir 1000 exemplares vendidos da “obra”, só podia dar nisso.
    Se quer publicar, reúna mais 4 amigos escritores (você que escreve tem amigos escritores, nao tem?) e lancem uma antologia conjunta via uma das inúmeras empresas que não cobram para a publicação e te dão controle sobre o produto final. Ou vá para o sistema on demand. Mas não participe dessas coletâneas, por favor. E outra, esse negócio de vampiros já deu e excedeu, né? Se não tem criatividade nem pra temática, imagine pra narrativa.

  7. Matheus A. Quinan Says:

    Ainda bem que abri meus olhos.
    Fiz isso uma vez para não fazer nunca mais.

  8. Daniel Saavedra Says:

    Nossa, e é o mesmo organizador do livro ali de cima, o Fim do Mundo. A capa é realmente foda. Eu gosto muito de antologia de contos, é como assistir curtas metragens na hora do almoço. Mas dificilmente há um livro que todos os contos são impressionantes. Agora, no caso desse livro, pelo jeito a coisa ficou feia. Confesso que fiquei curioso pra ler o três ecas.

  9. Daniel Saavedra Says:

    Eu sou só um leitor, não sou escritor e nem pretendo. Por isso gostei desse site, gosto de compartilhar leituras e tem um livro que merece, por completo os 3 ECAS, Tibor: Desejo de Lilith. É de vampiro.

    Eu dei um voto de confiança pra capa, linda, mas o livro é um ultraje para qualquer ser humano alfabetizado. Santo Deus.

    Me senti ofendido por alguém ter publicao aquilo. Pelo autor não ter noção de ao menos contratar um leitor crítico para dar uns toques antes de publicar. Triste. Não consegui chegar na metade. Joguei o livro na lata de lixo.

    • Tibor Moricz Says:

      Não li esse livro, Daniel, e baseado nas críticas que ele já recebeu, nem pretendo. Não quero piorar a minha saúde, o médico me mandou ficar longe das porcarias.

  10. Dimitry Says:

    Olá.
    Tibor. Gostei das críticas.
    No Livro Negro dos Vampiros (no qual participei) você me entregou 2 ECAS(rsrs). Hoje releio meu conto e também me dou alguns ECAS(rs).
    Eu não conhecia esse seu blog. Vou passar por aqui frequentemente, agora.
    Você também fez uma crítica referente a capa que criei da antologia UFO. Ah… ficou clichê. Mas já vimos piores, vai… (rs)
    Enfim. Críticas devem ser levadas pelo lado bom da coisa. Querendo ou não, escritores escrevem para que os outros leia e nem sempre irão agradar a todos.
    Críticas que cutucam a ferida são boas para os autores reverem seus erros. E erros podem ser cometidos várias vezes. É aceitavel.

    Eu queria indicar um livro para ver sua crítica final:
    POE 200 ANOS – Contos Inspirados em Edgar Allan Poe (All Print Editora). Se trata de mais uma antologia. Mas é bem curto, 20 contos.
    E já digo: Tem conto meu lá, hein… Pega leve nos ECAS (rs).

    Abraço

  11. Dimitry Says:

    Detalhe. Concordo que antologias pagas trazem QUALQUER coisa para o público. Por mais que eu tenha participado de algumas dessas antologias, eu nunca fui muito a favor.
    Mas acho que as coisas vão mudar devagar; Editoras fazendo coletâneas gratuitas e trabalhando melhor para uma boa qualidade ser entregue ao leitor. Eu torço por isso e quero fazer por onde.
    Vamos ver no que vai dar.

    Abraço

  12. Marcos T. Nogueira Says:

    O livro é tão ruim que está esgotado para compra!

    Sinceramente, publiquei neste livro e discordo da avaliaçao que eu e meus colegas recebemos. Suas palavras dizem o seguinte:

    “Mais um bom argumento contra as coletâneas caça-níqueis. E lamento pelos autores que, sem nenhuma condição de publicar, foram aceitos nesse livro. Bom para o ego, mal para a imagem. Que burilem melhor seus futuros trabalhos e não pensem em publicar antes de terem a mais absoluta certeza de que tenham atingido um nível aceitável de qualidade.”

    Ótimo, farei como o Sr. e esperarei até os cinquenta anos de idade para publicar algo. Não esquecendo de manter minha média de leitura de 4 livros de ficção por semana. Ou seja, 48 livros por ano a partir do presente momento em que tenho 23 anos. Mantedo a mesma média, terei lido 1296 livros até a idade de publicaçao aceitavel, segundo seus critérios.

    Penso que entao terei atingido um nível aceitável para publicar, ou não?

    Por favor, responda-me àquele que tem perfis vazios nos sites, os quais vendem seus livros. Estarei qualificado ou terei de aguardar um pouco mais?

    • Tibor Moricz Says:

      Marcos, que posso esperar de um autor que posta sem nem sequer revisar um mero comentário? Se você não sabe que 4 x 4 = 16 x 12 = 192, juro que não serei eu a lhe dizer isso. Mas tem coisa aí que você acertou, mesmo que sem querer: cresça primeiro, evolua, equilibre-se, seja mais sensato, burile seu talento (se é que tem um) e volte mais tarde, com trabalhos mais amadurecidos (e publicados numa editora séria!). Terei o maior prazer em lhe dar um UAU! se merecer. E não estou brincando.
      E outra coisinha básica: Resultado comercial nada tem a ver com qualidade literária. Você devia saber disso, mas obviamente não sabe. Está precisando aprender muita coisa, rapaz!

  13. Emilia Ract Says:

    Olá, espero que esteja tfuo na mais perfeita ordem.

    Ainda bem que a minha avaliação foi média…rs
    Agora que me formei em Letras e já faz um tempo que escrevi esse conto até me animei em voltar a escrever, quem sabe fico melhor, pois não?
    Mas, sinceramente, estou cansada de coletâneas.
    É difícil achar editora que não queira sugar trabalhos sem rever, sem ajudar o autor a se rever e almejando apenas lucro financeiro…
    Complicado.

    Até breve.

  14. Emilia Ract Says:

    E falando em rever…

    tfuo = tudo.

    Ops.
    Não acostumo com teclado pequeno.

    Abraço.

  15. raphaela Says:

    gostaria de saber quem é Felipe F Lopes, autor de Sombra Sombria!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: