Crítico literário, eu? Não, mesmo!

Antes que se estabeleça uma situação inexistente e eu seja definitivamente rotulado como crítico literário, lanço-me, de armas em punho, na tentativa de uma defesa desesperada.

Vem surgindo aqui e ali comentários me apontando como crítico, coisa que não sou e nunca fui. Desde o início do É só outro blogue deixei claro que faria comentários às leituras realizadas, sem, contudo, classificá-las especificamente como resenhas críticas.

Entendo que para ser um crítico seja necessária uma bagagem que não possuo tal como conhecimentos em teoria literária, por exemplo.

Desde o início me comprometi a realizar leituras com o intuito de, talvez com um pouco mais de profundidade do que um leitor comum faria (já que também sou escritor), apontar o que considero bom ou ruim numa escala de valores baseada nos triviais “gostei”, “não gostei”.

Com franqueza. Essa também foi uma promessa. Dizer o que acho com a premissa de não mentir a mim mesmo.

Poderão argumentar, e não sem razão, que isso já é o suficiente para me classificar como crítico. Tenha eu conhecimento profundo da matéria ou não. Mas me sinto desconfortável com o rótulo. Prefiro ser visto como um comentador honesto e sem medo de ferir possíveis suscetibilidades.

Igualmente consciente de possuir um telhado de vidro; preparado para absorver críticas ao meu trabalho, sem reações imaturas como se vê em larga escala por aí. E no aguardo de que as críticas sejam, claro, fundamentadas e não resultado de vingança ou revanchismo (o que também se vê fácil por aí).

Assim, deixemos o título para o Antonio Luiz M. C. Costa, o único crítico literário voltado à literatura de gênero que conheço e respeito.

Crítica literária é coisa para especialistas. Sou só um curioso.

Anúncios

Tags: , ,

17 Respostas to “Crítico literário, eu? Não, mesmo!”

  1. Alvaro (Pai Nerd) Says:

    Nelson de Oliveira uma vez usou a expressão “leitor qualificado”. Creio, que você e talvez eu, possamos ser leitores qualificados, ou seja, lemos muito e temos alguma bagagem cultural para tecer comentários inteligentes e pertinentes sobre o que lemos. E muitos críticos, apesar de terem as ferramentas, podem não ser “leitores qualificados”. É a posição “não li e não gostei”. Tenho lido seus comentários e eles demonstram que você leu, até aqueles que recebem um “triplo eca” e que não se impressiona com medalhões.

    Isenção e competência é o mínimo que se espera, tanto de um crítico como de um leitor qualificado. E você tem demonstrado ambos.

  2. Jackson S de Jesus Says:

    Gostei da defesa, nem precisou das “armas em punho” e do desespero!
    Abraços literários!

    • Tibor Moricz Says:

      Hmmm… esse negócio de “armas em punho” é pura retórica, e o “desespero”, exagero dramático 🙂

  3. Saint-Clair Stockler Says:

    Você esqueceu do Roberto Causo, que também faz crítica literária de ficção de gênero, e é muito bom.

    🙂

    • Tibor Moricz Says:

      Mas como o próprio Antonio Luiz frisou em sua entrevista no Contos Fantásticos, o Causo anda meio que distanciado dessas resenhas críticas.

      • Roberto de Sousa Causo Says:

        Antonio Luiz disse que eu não tenho feito ultimamente resenhas de lançamentos brasileiros recentes — embora este ano eu tenha resenhado os primeiros romances de Fábio Fernandes e Gerson Lodi-Ribeiro, e do último romance de Nelson de Oliveira, todos lançamentos muito recentes. Também resenhei, sob pseudônimo, o novo livro de Leonel Caldela. Poderiam ter sido mais, mas o “Terra Magazine” pediu para não enviar muitas páginas por coluna, por causa da cobertura política que eles estão fazendo, neste ano de eleições. E a pós-graduação também virou esponja de tempo livre…
        Quanto ao mérito da questão, assim como escritor é quem escreve — bem ou mal, de vez em quando ou sempre, amadorística ou profissionalmente, com mais ou menos conhecimento ou habilidade literária –, crítico é quem faz crítica literária, bem ou mal, com mais ou menos conhecimento literário, boa vontade ou agenda pessoal. E assim como acontece com o escritor, cabe derradeiramente ao leitor separar quem faz bem ou mal, com propriedade ou não, etc. Então lamento, Tibor e Álvaro, não dá para escapar: vocês dois são sim, críticos literários.
        Noto ainda que no campo da FC e fantasia há uma longa tradição de uma crítica informal, que vem lá das colunas de cartas das pulp magazines, e que ajudou a dar forma e profundidade à maneira como a FC e a fantasia como gêneros são enxergados. Isso está documentado e é estudado pelos acadêmicos nacionais e estrangeiros.
        Saint-Clair, mais uma vez obrigado por se lembrar deste lobo solitário — ou ovelha solitária? Abraços a todos.

      • Alvaro (Pai Nerd) Says:

        O Causo colocou muito bem a questão. Não gostar do rótulo é o mesmo que não gostar de ser juiz de futebol (atualmente “arbitro”), para que sua mãe não seja xingada. Não interesse se você pegou o apito sem querer e se são dois times de várzea ou duas seleções no mundial. A bola já tá em campo. Derrubou na área é penalti! E “juiz ladrão” é a mãe!

      • Alvaro (Pai Nerd) Says:

        P.s: Mudando a frase: “Não interessa se você pegou o apito sem querer …”

        Pra me incluir: Não interessa se pegamos o apito sem querer…

      • Tibor Moricz Says:

        Peguei no apito mas não foi sem querer. Só não pensei que ia apitar jogos de campeonato. Eu estava pensando só em me divertir
        com joguinhos de várzea… 😦
        Me vestiram a camisa preta, me empurraram pro meio do gramado e já posso ouvir os xingamentos dirigidos à minha mãe, coitada.

      • Alvaro (Pai Nerd) Says:

        Eu também. Tudo começou quando, para ajudar meu filho como Homem Nerd, resenhei Os melhores Contos Brasileiros de Ficção Científica, vaja só, organizado pelo Causo.

    • Alvaro (Pai Nerd) Says:

      Não sei se ele mesmo (Causo) se posiciona como crítico literário. Talvez seja outro “leitor qualificado”.

  4. Osíris Reis Says:

    Tibor, eu te entendo. Teu texto deixa claro como você se sente, eu até me ponho no teu lugar com facilidade. Mas… “sorry, baby”! Suas opiniões de leitor qualificado já estão se tornando referência no Brasil, ao lado de outros monstros da crítica de FC brasuca.

    Já era! (ehehehehehehehehe)

  5. Carlos E. Baptista Says:

    Relaxa e escreve, velho!! Eu sou um que leio com prazer!!

  6. Daniel Borba Says:

    Concordo com o Osiris… Já tá virando referência, meu velho…:)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: