O Andarilho das Sombras – Lido e comentado

(Há Spoilers)

Conheci o Eduardo pessoalmente no Fantasticon em 2011. Na ocasião seu romance já se encontrava para avaliação nas mãos de Erick Santos, editor da Draco. Conversamos bastante depois disso, pelas redes sociais, e admito que fiquei curioso para ler a sua obra. Adquiri então o Ebook.

O andarilho das sombras se passa na Idade Média e conta a história de Harold Stonecross desde a sua infância até o momento em que se transforma num monstro. A narrativa é em primeira pessoa e alterna presente e passado; ora o homem ora o monstro que se revezam.

Não dá pra dizer que existe uma história com começo meio e fim. Trata-se de um avanço pari passu na trajetória do personagem. Seu dia-a-dia contado às vezes nos mais insignificantes detalhes, o que demonstra que o autor se debruçou em pesquisas históricas para construir cenário e ambientação bastante convincentes.

A narrativa cotidiana que nos leva através dos anos pela história do protagonista tem tudo pra ser a maior virtude do livro, mas também o maior defeito. A ausência de pontos de tensão inesperados é o que mais me fez falta. Todas as crises, os enfrentamentos, são razoavelmente previsíveis, não houve surpresa, nada que me fizesse exclamar.

Como o autor optou por narrar um-dia-após-o-outro, esse cotidiano acaba por se tornar rotineiro. As mesmas tarefas, os mesmos anseios, as mesmas surpresas. Não há antagonistas fortes, não há equilíbrio de poderes, a balança não pende ora para um lado, ora para outro. Essa ausência de emoções mais fortes acaba por tirar parte do apelo da história.

Outra coisa que achei um tanto exagerada foi a carga dramática. O autor exagerou em muitos pontos tornando-a quase caricata. Quando o drama é demasiado, perde a força. Assim como o motivo final que levou o protagonista a fazer um acordo que o transformou num monstro. Na Idade Média 1/3 (até mais) das crianças morriam antes de completar um ano de idade. A morte delas era considerada comum, não provocava surpresas. Não é razoável supor que um pai fosse sofrer tanto, de forma tão paroxismática, pela morte iminente de sua filha. Soou bastante forçado.

Mas o livro não é só resvalos.

A narrativa cotidiana acaba se mostrando também, magnética. Desperta a curiosidade conhecer o dia-a-dia dos personagens, todos eles bem construídos e explorados. A larga pesquisa histórica nos brinda com conhecimentos de época fascinantes. Sentimo-nos arrastados pela narrativa até as últimas páginas. Tanto que li o livro em pouco mais de dez dias. Para mim, um livro com tantas páginas, é um recorde.

Esse projeto pretende se transformar numa série. Apesar de ter lido o livro com rapidez, de tê-lo achado magnético, de ter encontrado personagens bem construídos, não sei se terei ânimo para enfrentar suas continuações, a não ser que o autor acrescente antagonistas fortes e crie conflitos consistentes.

O Andarilho das Sombras – Série Tempos de Sangue – Primeiro Volume

Editora: Draco
Autor: Eduardo Kasse
Gênero: Literatura Fantástica
Formato: 14 cm x 21 cm
Páginas: 400

Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: