Posts Tagged ‘Editora Literata’

Escreva seu conto! Participe de 2013 – Ano um.

08/07/2011

2013 – Ano um é uma iniciativa da Editora Ornitorrinco e Editora Literata e tem como organizadores Alicia Azevedo e Daniel Borba. Está aceitando submissões do dia 10 de julho a 15 de setembro.

Não é um prazo muito longo, então sugiro aos interessados que metam mãos à obra desde já.

Serão escolhidos alguns contos inéditos (não há quantidade definida) que farão companhia aos trabalhos dos seguintes autores convidados:

Roberto de Sousa Causo
Gerson Lodi-Ribeiro
Tibor Moricz
Ana Lúcia Merege
Ademir Pascale
Duda Falcão
Adriano Siqueira

Aproveitem. 2013 – Ano um será um excelente palco para desfiarmos nossas esperanças ou desesperanças na raça humana. Utopias e distopias são muito bem vindas.

Saibam dos detalhes nesse link:
http://www.editoraornitorrinco.com.br/2013/sinopse.html

UFO – Lido e comentado.

19/08/2010

Como prometido, segue aqui o resultado da leitura da coletânea UFO – Contos não identificados, organizada por Georgette Silen para a Editora Literata.

Trata-se da reunião de trinta e três contos. A capa é razoável, embora clichê. Aliens com cabeção e olhos negros e grandes são figuras constantes na literatura. Não custava mudar isso um pouco. Também tenho restrições, e essas sérias, em relação à revisão. Erros constantes e irritantes tiram a concentração na leitura. Será possível que não vão meter na cabeça que vale a pena gastar um pouquinho a mais com um revisor competente? Serviço assim, feito nas coxas, prejudica muito a visão geral da obra.

Também senti falta de um trabalho de editor mais efetivo, ajudando alguns autores a melhorar o texto, corrigindo parágrafos mal estruturados, palavras mal escolhidas e frases com sentido confuso.

E um adendo: não é porque a coletânea é paga, que a rigidez da seleção deva ser menor. A seleção deve ser sempre rigorosa. Que isso sirva para as próximas coletâneas.

Vê-se a pressa em encerrar os trabalhos, reunir os contos e publicar o livro.

Avaliações:

1- Rober Pinheiro – De amizades e restos de Sol

Alienígena é enviado a Terra para aprender e observar. Conhece menina e faz amizade com ela. O autor não desenvolve a trama, precipitando-se para o final. Insatisfatório. Apressa atabalhoadamente e sem maiores e convincentes explicações a destruição da Terra. Argumento nada original.

2- Deuses do quarto milênio – Jocir Prandi

Humanidade praticamente extinta após apocalipse recebe visitas de alienígenas. Choque cultural e revelações religiosas conduzem a trama. Uma história razoável.

3- A transição – Anderson Henrique

Sonho conduz protagonista a uma viagem para além das fronteiras conhecidas. Apesar do eruditismo desnecessário, complicando frases que poderiam ser mais simples e diretas, a leitura se mostra boa. Não se trata de um argumento novo e também existem inconsistências científicas. Mas as inquietações apresentadas são perturbadoras. Por fim, vale a leitura.

4- Copa do mundo – Daniel Borba

Contatos ufológicos separados por períodos de 12 anos conduzem o protagonista a um desfecho traumático. Linha narrativa mais documental não cria muitas expectativas. O final foi meio surpreendente e meio previsível. Explico a contradição: conseguiu incomodar mesmo podendo ser antecipado.

5- Foo fighter – Renato G. Cunha

Piloto num Messerschmitt retorna para casa após batalha aérea. No caminho se depara com um Spitfire e uma nave alienígena. Cenário de guerra compõe esse excelente conto. Ritmo e detalhes fascinantes.

6- O diário de mister Oliver Parker – Ieda Silva Castaldi

Alienígenas se instalam entre os humanos para observá-los. Conto muito fraco, repleto de erros e com um argumento muito batido.

7- Enorme problema – Larissa Caruso

Perseguição a extraterrestre fugitivo é o mote desse conto. Enorme problema eu tive ao iniciar essa leitura. Muito ruim. Mal escrito, mal conduzido e mal explicado.

8- …E o princípio era o verbo – Michele Calliari Marchese

Alienígenas chegam à cidade. O conto parece começar pelo meio e teminar sem maiores explicações. Não conhecemos a protagonista nem a sociedade em que vive. Não conhecemos que são “eles” nem o que pretendem, nem porque.

9- A abdução de Natália – Renato A. Azevedo

Conto fala sobre aparições ufológicas e sobre a abdução de uma das personagens. O ritmo é tão apático e letárgico que toda a leitura segue sem que haja um único momento de tensão real por mais que autor tente criá-lo. Obviamente não consegue.

10- O.V.N.I – Mariana Albuquerque

Alienígenas alados (pássaros) chegam à Terra em busca de vida inteligente. Mas são tão obtusos que não conseguem identificá-la. Embora o conto apresente um argumento relativamente original, tem sua condução comprometida. A ironia exagerada tirou da história qualquer pretensão séria e a transformou numa paródia ineficaz.

11- A verdadeira história do ET de Varginha – Gerson Balione

Conto que pretende, com comédia, contar os fatos reais ocorridos em Varginha. Perde-se em descrições mal feitas e num ritmo intenso que, na pretensão de tirar o fôlego do leitor, consegue subtrair a dramaticidade dos fatos, mesmo considerando que o humor é o objetivo final. A impressão é de que o autor teve pressa em acabar e acabou atropelando a narrativa. Final morno para uma história alucinada com alguns poucos bons momentos.

12- Mallaon, o filho de Mênfis – Maria Helena Camilo

Esse eu prefiro até nem comentar.

13- Green flash – Renato G. Cunha

Velejadores vão dar em aprazível ilha com nativos pacíficos e estranhos deuses. Um pequeno tropeço da narrativa não tira o brilho dessa boa história. Final surpresa.

14- Contato! – Álvaro Moreira de Carvalho

Nave alienígena numa fazenda é derrubada com um tiro de espingarda (!). Prisão do ocupante acaba revelando fatos insuspeitos. Apesar de o conto fluir razoavelmente bem, o autor constrói os diálogos e a inter-relação entre os personagens de maneira muito estereotipada, sabotando a verossimilhança de um contato como o descrito. Final decepcionante. Um conto que tinha tudo pra ser bom.

15- Desejos e estrelas – Andréa Bertoldo

Homem em procura de um amor verdadeiro faz pedido a uma estrela. Fábula romântica que nada tem de ufológica. Narrativa simples e agradável.

16- Experiência – Eduardo Bonito

Homem ansioso por aventuras sexuais que o afastem da mesmice acaba numa boate misteriosa, junto a stripers de outro mundo. Condução inábil torna o conto aborrecido e interrompe a suspensão da descrença. Lê-se o conto como a uma paródia mal feita.

17- Cabeça de ouro – Antonio Jota

Homem enlouquece a passa a pregar e buscar um tesouro antigo. O elemento ufológico repousa em insinuações sobre conversas do protagonista com nave estranha em suas terras. Entendo esse elemento como meramente alegórico. O intuito principal é falar sobre Caio Graco, suas mazelas e seus devaneios. Boa prosa.

18- O primeiro deles – M. D. Amado

Um espécime é capturado e levado para base militar. Avaliações médicas caracterizam-no como um alienígena. Conto que tenta ser engraçado. O argumento é pouco desenvolvido e acaba prejudicado por tropeços na condução da história. Faltou habilidade.

19- Piratas espaciais – Pedro Gonçalves/Rafael de Andrade/Sidnei Holanda

Por Tutatis! Esse talvez seja o pior conto que li nos últimos tempos. Não há nada a não ser palavras seguidas umas das outras na vã tentativa de lhes dar alguma unidade. Surpreende-me que a organização tenha aceitado esse trabalho. E, vejam: foram necessários três autores para cometer esse conto. Um Eca! para cada um deles.

20- Entre mares – Kelly Rodrigues

Alienígena fêmea sai de seu planeta onde não existem homens (dizimados por uma praga) e parte para a Terra em busca de novas sensações. Conhece outra mulher e…
A trama envolvendo uma alienígena me parece também uma alegoria com a função de conduzir ao final apoteótico de gozo pleno, inter-racial e interplanetário. Texto poético e agradável, embora a ausência de revisão tenha prejudicado a leitura.

21- Gêmeos – Andréa Bertoldo

Romantismo extraterrestre. Amor que vence distâncias intergalácticas. Prosa satisfatória. Nesse relato em particular, deixei de lado qualquer busca por verossimilhança ou consistência científica e me permiti analisar apenas o enredo dentro daquilo que ele se propunha.

22- Laex – Sóira Celestino

Interessante história onde um alienígena busca outras mentes privilegiadas no universo para se interconectar em busca de informação e conhecimento. Trata-se de uma história que mereceria ser retrabalhada para tirar dela o máximo que o argumento possibilita. Apesar de estar aquém do que poderia, gostei.

23- O mistério de Amaruc – Izabelle Valladares

Escavações arqueológicas em Cuzco revelam uma câmara secreta e um estranhíssimo artefato. Outra boa história onde a condução poderia ter sido mais caprichada. Teorias da conspiração acabam remetendo a narrativa ao mal afamado clichê.

24- Ocorrência policial – Felipe Alandt Simm

Homem abduzido é devolvido ao local da abdução 20 anos depois. O conto começa bem, me fazendo lembrar de Twilight Zone. Mas continua ruim e termina pior.

25- Somos – Duda Falcão

Experiência alucinógena leva protagonista a uma fascinante viagem. Conto curto e com argumento original.

26- Energia potencial – Jaqueline Leal

Cópula prepara a Terra para a dominação Zari. Bom conto que teria recebido um Uau! Não tivesse deixado escapar a chance no final onde um exagero inexplicado colocou tudo a perder.

27- Cobaia – Alex Mir

Intercurso sexual entre humana e alienígena provoca um conto assustador de ruim. Dou um grito horrorizado e pulo rapidamente para outra história.

28- Nenhuma palavra… Com toda certeza – Celso Freitas

Aparição ufológica sobre base militar carioca. Bem escrito. Todavia, não se trata de conto, não devendo, portanto, ser julgado como um. Entendo que segue parâmetros de relato de avistamento que bem pode ou poderia ser verdadeiro. Absterei-me de julgar a qualidade.

29- Caixa preta do tempo – Suzy M. Hekamiah

Batalha aérea simulada acaba interrompida pela presença de um Óvni agressor. Argumento interessante, mas muito mal conduzido e muito mal explicado.

30- Esfera metamorfa – Nemésio Silva Filho e Newton Silva

Deus meu! Relato sobre avistamento rompe todas as barreiras da má narrativa e da má história.

31- Sintonia fina – Angelo Tiago de Miranda

Me absterei de comentários. Estou em choque. Terrível, terrível…

32- O navegante – Alfer Medeiros

Velejador assiste uma formidável aparição. Coleta de espécimes marinhos é realizada. Narrativa ruim, descrições confusas. Situação pouco crível.

33- Desígnios – Georgette Silen

Profetiza faz elo entre homens e deuses. Narrativa ambientada na Roma antiga. Apesar de alguns tropeços, a história se sustenta e consegue ser agradável.

A somatória de contos com suas respectivas avaliações faz dessa coletânea caça-níqueis uma como as demais, lidas e comentadas anteriormente neste blog, sem conseguir se destacar da ruindade geral. Atribuo a UFO – Contos não identificados um   .  Estou sendo bonzinho, acreditem.

E se esse post tiver erros, peço desculpas. Meu revisor anda muito ocupado.

Quem acredita em Discos Voadores?

17/08/2010

Uma vez eu vi um OVNI. Mais de uma vez, na verdade. Entendam-me, quando digo OVNI me refiro especificamente ao que significa essa sigla. Não posso jurar de pés juntos que vi naves espaciais, mas também não descarto a possibilidade.

Creio em vida alienígena inteligente e não acho que a questão das enormes distâncias entre planetas que possam abrigar vida, e mesmo entre galáxias, seja um empecilho para que recebamos “visitas”.

Não podemos estabelecer nossos conhecimentos científicos e tecnológicos como parâmetros universais.

Faço essa introdução para dizer que, apesar de gostar muito do assunto, não me lembro de ter lido recentemente (e mesmo em época mais remota) um romance ou uma coletânea nacional que abordasse a temática ufológica.

Foi com surpresa que soube do lançamento de uma coletânea organizada por Georgette Silen e publicada pela Editora Literata (que para meu mais absoluto espanto, descubro estar sediada bem próxima da minha casa, na Praia grande) e mais espanto ainda quando recebi dois exemplares de presente do Daniel Borba (http://alemdasestrelas.wordpress.com), um dos autores.

A recomendação é para ler e comentar. E sortear um deles, também.

Já estou na metade do livro e devo levar mais dois ou três dias para acabar. Diferentemente dos lidos anteriormente, esse faço questão de comentar conto a conto além de classificá-los por nível de qualidade.

Aguardem.